A Queda na Produtividade e seus Alarmes

queda_na_produtividade Eu já falei sobre o lado bom e o ruim de ter um dia nostálgico. No entanto, nem sempre são dias nostálgicos que diminuem nossa produtividade, muitas vezes algumas pequenas coisas que fazemos em nosso dia-a-dia indicam que nossa produtividade está em baixa. Mas como se aproveitar dessas quedas para melhorar? Simples, elas são um ótimo alarme para resolver o problema antes que ele se torne mais grave.

Alguns dos alarmes:

– Daqui a pouco eu faço ou Só mais um minutinho
Esse é o mais clássico de todos, começamos a protelar. Primeiro com coisas pequenas, como responder um e-mail. Depois vêm as maiores e começamos a deixar de fazer coisas que são necessárias simplesmente por preguiça ou comodismo.

É importante não confundir protelar com adiar. Quando você adia algo, está marcando uma data e um horário para fazer a coisa e, quando protela, simplesmente “deixar rolar” até o limite.

– Diversão em excesso
Não é que o seu trabalho não possa ser divertido, na verdade o ideal é que seja no mínimo algo que você goste muito. Mas diversão em excesso é outra história. Se você deixa de fazer algo importante para ver TV ou dar uma volta no shopping, você pode estar dando inicio à um ciclo vicioso, em que a necessidade de diversão substitui a de realização. Guardadas as devidas proporções, é como usar drogas: o beneficio rápido que traz conseqüências sérias depois.

Novamente, não vamos confundir os momentos de diversão necessária e benéfica que todos temos com o vício do prazer imediato.

– Ausência de foco
O famoso foco na meta ou mind the gap é importante, pois quando estamos focados em algo as pequenas distrações não nos tiram do caminho. Em contrapartida, se você é relapso e não consegue se concentrar, vai demorar muito mais tempo para fazer uma tarefa e aí vem a queda na produtividade.

Esses 3 alarmes são apenas alguns dos muitos que podem nos chamar a atenção. Mas lembre-se: ninguém é melhor que você para analisar uma queda ou um aumento na produtividade.

E você, quais são seus alarmes?



Pedro Villalobos - 31/08/07


6 Comentários

  1. gleyce kelli disse:

    EU Adorei Espero abrir outras paginas enguau a essa….

  2. Que bom que gostou, Snake. Se você der uma olhada pelos outros artigos do site vai encontrar muitas dicas do mesmo tipo :)

  3. S.L. Snake disse:

    Gostei muito das dicas!!

  4. Karin, foi simplesmente uma citação que me veio na cabeça enquanto eu escrevia.

    Alberto, que bom que foi útil para você :)

  5. Alberto Júnior disse:

    Pedro, estava precisando ler algo como o que você escreveu. Ultimamente, estou me sentindo assim mesmo. Disperso, não consigo me concentrar nas coisas, tanto no trabalho como na faculdade. Vou anotar essas suas dicas.

  6. Karin Keller disse:

    Oi Pedro!
    Realmente, prestar atenção nesses alarmes é muito importante. Mais do que isso, é preciso prestar atenção no que o seu corpo está pedindo. Pode-se fazer as três coisas ao contrário também, e não notar.

    Não entendi a colocação da expressão “mind the gap” no texto.

    Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *