Errar é humano

image Essa é uma das frases que ouço com mais frequência, no entanto, a maioria das pessoas esquece a versão completa: “Errar é humano, permanecer no erro é burrice“. E isso pode ser muito perigoso.

No sábado estava conversando com o André a respeito de abandonar a faculdade e os motivos para tê-lo feito e chegamos a algumas conclusões e constatações.

  • A influência do meio

Nos últimos anos, o senso comum martelou muito na importância e quase obrigação de possuir no mínimo um curso superior, não importando qual. Essa mentira faz com que muitos corram atrás de um diploma que nunca vai ser útil a não ser para alimentar a própria mediocridade intelectual.

Outra justificativa comum são os concursos públicos. Conheço pouquissimas pessoas que não criticam duramente a política (normalmente sem base alguma para falar sobre) e que, no entanto, sonham em “mamar nas tetas do estado” através de um cargo público que promete resolver todos os problemas da sua vida. O preço? Um diploma de qualquer faculdade meia boca.

O senso comum (ou alucinação em massa) nos leva a crer que no momento em que iniciamos uma faculdade, devemos ir até o final.

Isto leva à…

  • Persistir no erro

Eu cursei publicidade por quase 3 anos e no momento em que descobri que não precisava daquilo, abandonei. Ir até o final é uma grande burrice quando sabemos que estamos errados. É como beber de um copo vazio, não vai te acrescentar em nada e vai tomar seu tempo e às vezes seu dinheiro.

  • O fator MEDO

Mas o que fazer antes de abandonar a faculdade, largar a namorada ou demitir-se do emprego? Eliminar o medo e traçar seu caminho. Estipule suas novas metas de crescimento e assuma a responsabilidade de melhorar e crescer.

  • Não desista de seus sonhos

Essa é uma meta muito bonita e pode ser mais fácil de alcançar do que parece. Basta ser fiel à você e ao que você quer. Deixe para trás àqueles que não estão interessados em sua evolução.

Tome as rédeas da sua vida e DESISTA, desista o quanto antes de permanecer no erro.

*Fotografia por Paulo Santa Rosa



Pedro Villalobos - 28/11/07


43 Comentários

  1. Fhdfjhdfj disse:

    isso e uma bosta !!!!
    KKKKKKKKKK

  2. Isabele disse:

    Desenterrei o post hehe mas caso o victor volte a ler isso, acho que ele na verdade está se atendo a DOIS conceitos ultrapassados: o de que gente sem diploma não é chefe de ninguém (está aí o exemplo de Bill Gates e Steve Jobs que não me deixam mentir, bem como vários dentre os 10 homens mais ricos do mundo), e o de que faculdade = conhecimento. Tendo passado por duas universidades públicas, eu posso dizer que aprendi bem mais em casa. A comodidade dos cargos públicos torna os professores muito folgados(LÓGICO que existem exceções, tive mestres excelentes ao longo desses poucos anos de faculdade), já que dando aula ou não o salário deles está garantido. Estou muito frustrada com o ensino universitário público do país; larguei minha primeira faculdade, não por não gostar do curso (química, minha paixão desde criança), mas porque o assédio constante de veteranos e a filhadaputagem de professores (um deles se vangloriava de fazer pelo menos uma menina chorar em todas as suas aulas) me fizeram ter um colapso nervoso. Faço acompanhamento psiquiátrico até hoje, graças à suposta “melhor universidade do país”. Agora curso análise de sistemas e, conversando com um amigo que já trabalha na área (ganhando muito bem e sem faculdade, diga-se de passagem), soube de uma máxima do chefe dele: eu não olho diploma, olho portfolio. Claro que isso não é válido pra todas as carreiras (querer ser médico sem diploma é foda, né. Tem uns por aí, mas acabam presos :P), mas eu acho que se existe a possibilidade de exercer a profissão sem diploma, e a faculdade está tornando a vida do indivíduo miserável, este deve largá-la sem olhar pra trás. Nada é perda de tempo se o propósito final é a própria felicidade. Falam tanto em “ganhar dinheiro”, mas precisa mesmo de tudo isso? Preciso me estressar, não ter tempo pra minha família, não me alimentar direito pra ganhar “4x mais”? Que bobagem. Só quero poder me sustentar. O que me impede de mandar até esse curso que estou pro inferno é uma grande pressão por parte dos meus pais pra que eu tenha um diploma. Assim que tiver o tal papelzinho, e tiver conseguido juntar capital suficiente (com o meu cargo público de nível médio ;)), dou o diploma de presente pro meu pai e abraço, vou montar meu pet shop :D

  3. Thaynara disse:

    Carlos Roberto,
    em sua definição você disse:
    “Errar, segundo o principio estabelecido por Deus na criação, não é humano, é sim diabólico.”
    Na verdade, na bíblia está escrito:
    “Errar é humano. Permanecer no erro é diabólico.”

  4. alexandre disse:

    Na boa, procurava algo mais relacionado no contexto de errar do ser humano e não sobre abandonar curso superior ou ser servidor público, não me ajudou em nada esse papo furado.

  5. Carlos Roberto disse:

    HERRAR É HUMANU?
    “ERRAR É HUMANO, PERDOAR É DIVINO”

    “Qualquer que comete pecado, também comete iniqüidade; porque o pecado é iniqüidade”
    I João 3:4

    Dizem que uma mentira repetida várias vezes acaba se colocando como verdade, mesmo que as evidências provem o contrário. O Diabo, conhecendo as fraquezas do homem, acima de tudo tem usado este argumento criado por ele mesmo para ludibriar a boa fé do ser humano. Hoje, mais que nunca, este ditado é a arma mais poderosa de Satanás para derrubar qualquer pessoa, independente de suas crenças, de suas origens ou de seu grau de instrução. A desculpa de que “ERRAR É HUMANO” tem sido uma frase usada para livrar a cara de muita gente diante da falta de explicações convincentes para justificar os seus erros e os desvios de conduta.

    Para os gregos do passado, ERRAR O ALVO se definia numa palavra: “HAMARTIA”. A tradução para esta palavra é “PECADO”, e a Bíblia afirma que “TODOS”, independente de qualquer circunstância, pecaram, todos carregamos o DNA pecaminoso plantado no Éden. Em Adão a humanidade foi contaminada com o vírus destruidor e contagioso do pecado, assim, vivemos diante de uma epidemia generalizada, com o homem cometendo toda a sorte de erros e debitando tudo no fato de que, segundo o ditado popular, “ERRAR É HUMANO”, mesmo que tal afirmativa não encontre respaldo nas Escrituras Sagradas.

    Quando Deus criou o homem e o colocou no Jardim do Éden, a recomendação expressa era para que ele não cometesse nenhum erro ou desvio de conduta conforme diz a Bíblia: “E tomou o Senhor Deus o homem e o pôs no Jardim do Éden para lavrar e guardar. E ordenou o Senhor Deus ao homem dizendo: “De toda a árvore do jardim comerás, livremente, mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; Pois, no dia em que dela comerdes, certamente morrerás” – Gêneses 23:15 a 17. Assim, no Éden, até desobedecerem, eles não conheciam a “CIÊNCIA DO BEM E DO MAL”, portanto estavam imunes ao que hoje conhecemos e tratamos como pecado. Adão e Eva não foram criados, nem tão pouco colocados naquele lugar para cometerem qualquer erro, aquele era um local aprazível e isento de malicia ou de coisas que desagradavam ao Criador. Com a esperteza da serpente, usando de toda a sua astúcia, o casal foi enganado e por cederem aos caprichos daquele animal, acabaram por terem os seus olhos abertos a ponto de reconhecerem que estavam nus. O pecado estava consumado, o ser humano que havia sido criado por Deus para o louvor de sua glória, agora, diante do flagrante desrespeito e do erro cometido, entronizou em si o pecado original, a desgraça que veio para mudar a história da humanidade.

    Os séculos se passaram e hoje, diante da fragilidade do ser humano em não conseguir lidar com as astutas ciladas de Satanás, o ditado “ERRAR É HUMANO” virou rotina e assumiu o papel de amenizar os erros e os desvios de conduta de qualquer cidadão. O incrível nesta história macabra é que há pregadores, se é que podemos tratá-los desta forma, que do alto de seus púlpitos, entoam este refrão com a maior naturalidade do mundo, como se pecar fosse uma situação associada diretamente ao comportamento original do homem.

    O pecado, para Adão, foi algo tão grave que ao ser chamado por Deus, vendo o tamanho da besteira que havia cometido, ele se escondeu, além de afirmar categoricamente que ele temeu diante do que poderia vir a acontecer perante da ruptura das relações dele com o Criador. O pecado fez com que ambos, marido e mulher, buscassem desculpas esfarrapadas para o grave erro que haviam cometido, assim, a culpa recaiu de pronto sobre a serpente.

    Mas, ERRAR É HUMANO? Se olharmos do ponto de vista dos que não querem assumir nenhum compromisso com nada, sim. Neste caminho encontramos pessoas de todas as raças, cores, culturas e pior, há uma multidão de religiosos defendendo suas ações mal sucedidas com esta desculpa implantada pelo Diabo no seio da sociedade como paliativo e como justificativa para continuarem no caminho inverso daquilo que Deus planejou para o homem enquanto cidadão deste mundo. Mas a Bíblia diz: “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor” – Romanos 6:23.
    Errar, segundo o principio estabelecido por Deus na criação, não é humano, é sim diabólico. O interesse do inimigo e que o homem continue pensando que faz parte da natureza e da rotina do ser humano. “Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências; nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça. Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça. Pois quê? Pecaremos porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça? De modo nenhum! Não sabeis vós que a quem vos apresentardes por servos para lhe obedecer, sois servos daquele a quem obedeceis, ou do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça? Mas graças a Deus que, tendo sido servos do pecado, obedecestes de coração à forma de doutrina a que fostes entregues. E, libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça” – Romanos 6:12 a 18.

    E se não tenho a certeza de quais são os meus erros ou os meus pecados? A Bíblia diz: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; Prova-me, e conhece os meus pensamentos; Vê se há em mim algum caminho perverso, e guia-me pelo caminho eterno” – Salmos 139:23-24. Os nossos pecados só serão perdoados se os confessarmos diante de Deus reconhecendo o seu senhorio sobre as nossas vidas: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” – I João 1:9.

    “Quem pode entender os próprios erros? Expurga-me tu dos que me são ocultos” – Salmos 19:12. A indagação do Salmista é no mínimo intrigante, chega a ser desconcertante, ele afirma categoricamente que o homem não pode entender os seus erros, mas ela sabe também que só Deus pode livrá-lo de suas mazelas pecaminosas.

    A Bíblia diz: “Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não atribui a iniqüidade, e em cujo espírito não há dolo. Enquanto guardei silêncio, consumiram-se os meus ossos pelo meu bramido durante o dia todo. Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado, e a minha iniqüidade não encobri. Disse eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a culpa do meu pecado. Pelo que todo aquele é piedoso ore a ti, a tempo de te poder achar; no trasbordar de muitas águas, estas e ele não chegarão” – Salmos 32:1 a 6.

    Se alguém disser que “ERRAR É HUMANO”, desconfie do caráter e da religiosidade deste cidadão. Perdoar sim é Divino, mas também humano, portanto se você não errar, com certeza você não terá que depender do perdão de ninguém, a não ser de Deus.

    Carlos Roberto Martins de Souza
    [email protected]

  6. Gravadora Atos 2,2 disse:

    Gostei muito massa !

  7. André disse:

    Olá, escolhi um curso superior sem pensar, e depois descobri que destesto, não levo jeito pra isso. O problema e que já estou no 4º ano e falta mais o 5º ainda, fora as várias DPs que acumulei ao longo do curso. Quando falo em parar, meus pais e parentes me criticam duramente, por isso não tenho coragem de largar a faculdade.
    O que faço?

  8. Rafael disse:

    Hoje passo por uma situação desagradável quanto ao abandono de uma universidade. Após quatro anos de tentativa em uma universidade federal, finalmente realizo o sonho de qual qualquer jovem: entrar e passar no maldito vestibular. No entanto, hj percebo que escolhi o curso errado e que não me sinto bem freqüentando as aulas pois não suporto mais mentir para eu mesmo quanto ao que escolhi. Eu sabia que não deveria ter feito o vestibular para este curso, mas sim para Ciências Sociais, algo que sempre quis e prestei 3 vezes; nunca deveria ter desistido.
    O que estou tentando dizer é que, na maoiria dos casos, pensanmos em um cara velho e sem um diploma e que não tem onde cair morto, mas é bem melhor ser uma cara assim do que um cara que vai ter um diploma e nunca vai saber usar o que deveria ter aprendido. Desisisitir pode ser covardia, mas se isto vai te fazer olhar para e ver que você poderia ter tirado uma pedra do sapato a mais tempo, então saia.

  9. Victor, eu entendo sua necessidade de provar que está certo. No entanto eu não escrevi este artigo para isso, escrevi para manifestar a MINHA opinião sobre o assunto.

    Para encerrar, é CLARO que nos dados do IBGE quem tem curso superior ganha até 4x mais, você está se esquecendo que querendo ou não curso superior ainda é para uma minoria, enquanto a outra grande maioria que não teve oportunidade de ser educado e de estudar (sim, porque não é só na escola e na faculdade que você aprende) trabalha por “baixos” salários. Uma coisa que você devia ter aprendido no colégio, lá pra sétima série é análise de estatisticas. NUNCA se analisa somente um dado isolado, existem VARIOS outros que também importam ;)

    Quanto ao Bill Gates e Steve Jobs, pesquise um pouco mais, ambos abandonaram a faculdade para montarem suas empresas…

  10. victor disse:

    bem.. 2coisas….

    sim, eles tem curso superior! e eles tendo ou nao, eles soa excessoes… nao se pode fazer regra…

    e outra… me explique os dados do IBGE então, se o conceito é velho demais…

  11. Victor, você está se atendo a uma verdade velha demais. Atualmente, qualquer um pode conseguir um bacharelado em quase qualquer curso, já que temos uma onda de faculdades de baixissima qualidade e que formam profissionais que não atingem nem mesmo niveis técnicos.

    Antigamente você podia confiar simplesmente em um curso superior para dizer se alguém era ou não competente, atualmente isso infelizmente não é possível.

    Quanto à chefiar pessoas, eu posso te lembrar que Bill Gates e Steve Jobs não tem curso superior? ;)

  12. victor disse:

    concordo que tem outros metodos de aprender… e reconheço… vc tem conhecimento.. mais nao tem titulos…. vc contrata 1 programador que te jura que programa muito bom ou 1 certificado microsoft que voce sabe que fez 1 prova muito dificil, em ingles com conteudos extremamente relevantes ? é a mesma coisa uma faculdade… nao é só o conhecimento…. sao so titulos…

    e outra… como um cara sem faculdade vai ser chefe de alguem com ? ele poder saber muito mais e fazer melhor…. + nao tem o status de bacharel

  13. Michel, você está pensando em média e está ignorando que muitas vezes, alguém que não faz faculdade continua estudando do mesmo jeito.

    A faculdade não é nem nunca vai ser a unica forma de se adquirir conhecimentos e de crescer na vida ;)

  14. Michel disse:

    Quem tem nível superior ganha 4 vezes mais na média do que quem tem segundo grau.
    fonte: IBGE

  15. Victor, juro que não estou entendendo a sua posição. Ninguém aqui está falando em jogar fora os 2 anos e meio anteriores. Quando você decide abandonar/mudar o curso que está fazendo, tudo que você aprendeu até aquele momento vai continuar com você. Não existe prejuízo algum ;)

    Ahhh Helder, você é cruel ehehhe

  16. Victor, seria legal você pensar mais no conceito blog antes de querer educar posts bons como esse, não que não possa ter críticas, mas que seja de posição e conselho.

    Pedro, o Leo Bahiano tem irmão?

    Tem gente aqui me lembrando ele.

    haha Abraço

  17. victor disse:

    pra quem tem tempo e dinheiro a perder é fácil falar… jogar dois anos e meio fora, pra economizar outro um ano e meio.. você ainda está no prejuízo.

    Vinicius, concordo com seu ponto. Você largou uma faculdade com um propósito, não simplesmente por não ser a área que você quer trabalhar. Largar pelo simples fato de ter mais tempo. Oportunidades não voltam.

    Claro que o diploma não garante nada… Tampouco o conhecimento e experiencias garantem alguma coisa.

    Como eu disse, pra quem tem tempo e dinheiro a perder, é fácil falar que não vale nada…

  18. Paulo, foi só um exemplo mesmo :) Um pouco polemico mas não é uma verdade absoluta eheheh

    Vinicius, você tem uma visão interessante e mostrou “outro lado da moeda”. Está seguindo um método simples e racional para atingir um objetivo. Boa sorte :)

  19. Vinicius disse:

    Parabéns pelo post. Recentemente passei por uma situação parecida com essa, aliás bem pior. Estava há 8 anos em uma faculdade que eu detestava já há bastante tempo, ralando que nem um doido para terminar um curso bastante difícil de Engenharia Eletronica numa faculdade federal que já se arrastava esse tempo todo, consumindo tempo, me estressando etc. Tudo porque meu objetivo nos últimos anos passou a ser ter um diploma para passar em um concurso de nivel superior (eu já trabalho como funcionario publico em um cargo de segundo grau). Desde que entrei no meu atual cargo me desencantei totalmente com engenharia (antes já não gostava mas levava porque achava que seria o jeito de sobreviver… um dia)

    Finalmente esse ano tomei coragem, abandonei a faculdade e procurei o curso mais fácil e curto que servisse ao meu propósito (ter um diploma para apresentar) e vou dedicar o máximo de tempo para estudar para as provas (o que realmente é meu objetivo). Foi duro tomar essa decisão, mas quando olho para trás vejo que possivelmente hoje já poderia estar formado e ter passado onde eu pretendo passar se tivesse tido coragem antes.

    Eu acho que algumas pessoas nos comentários perderam o foco, como bem disse o Ronaldo. Ter diploma de nível superior não garante nada a ninguém. Acho muito triste a cultura que algumas empresas tem de exigir nível superior simplesmente porque tá sobrando gente no mercado com essa qualificação. Também não acho que faça muito sentido concursos que pedem nível superior em qualquer área (como o que pretendo fazer), mas não posso sentar e ficar reclamando, ao invés disso acho mais razoável ver a solução que me permita focar ao máximo em meu objetivo perdendo o mínimo de tempo.

    Existe preconceito? Sim, existe… Até mesmo cela de prisão separada pessoas com nível superior tem direito, como se fossem melhores que as outras que não tem. Mas fazer um curso para não ser descriminado socialmente não tem muito sentido para mim.

    Uma única ressalva: o preço de se passar em um concurso não é um diploma de nível superior. Existem concursos muito bons de nível médio, e recomendo fortemente a quem se interessa por esta área que os faça antes de gastar tempo e dinheiro em uma faculdade cursada somente com esta finalidade, até porque são mais fáceis e menos concorridos muitas vezes. Mais ainda, ter o diploma só garante que você pode tomar posse do cargo se for aprovado, o que constitui de longe a parte mais difícil, exigindo grande esforço e dedicação.

  20. Valeu! Concordo em parte contigo, embora formado e servidor público. kkkk

  21. Ronaldo Pace disse:

    Caro Victor, vou ter que discordar com absolutamente TODOS os comentários que você disse.

    Vamos começar por: “Vocês estão apedrejando tanto o curso superior, pois provavelmente nenhum de vocês tem.” Pois bem, deixa eu me apresentar. Eu sou formado em engenharia de controle e automação e atualmente estou fazendo um mestrado em gestão de projetos de engenharia na Inglaterra, mestrado que estou pagando com dinheiro que EU ganhei, sem depender de ninguem.

    Você disse: “Vocês estão defendendo 1 ato impulsivo”.
    Se você reler o post original está escrito: “Mas o que fazer antes de abandonar a faculdade, largar a namorada ou demitir-se do emprego? Eliminar o medo e traçar seu caminho. Estipule suas novas metas de crescimento e assuma a responsabilidade de melhorar e crescer.” Não vejo NADA de compulsivo entre traçar suas metas e seguir elas.

    Você também defendeu bastante sobre informação e conhecimento. Pois bem, se a informação recebida é pobre ou pouco relevante para os objetivos, e respectivametne para o conhecimento apreciado, largá-la de lado por uma fonte mais rica e relevante é extremamente lógico. Já que vc mexe com sistemas deixa eu fazer uma analogica clara para vc. Você quer manter um servidor caseiro. Você prefere pagar R$99,99 por mês numa conexão 2mb do ‘terra’ (ou qqr outro) que tem o ‘conteudo exclusivo’ ou barganhar com o virtua um plano de 16mb up e dw sem conteudo exclusivo. “Persistir no erro” depende para onde você quer caminhar.

    Resumindo eu acho que vc perdeu o principal foco do post. Ele não está incitando o abandono de um curso ou desmereçendo o mérito de uma formação superior. O post é sobre a massificação da necessidade de uma faculdade, independente de seus objetivos e sonhos como indivíduo.

  22. Anny Rose disse:

    É verdade, Victor, todo mundo acabou saindo do foco, que é discutir sobre abandonar a faculdade, e partindo para a discussão sobre a importância de um curso superior.

    Desculpe-me pelo equívoco.

  23. victor disse:

    eu ano trabalho em 4 empresas.. trabalhei…. tenho como pagar, mais não como frequentar.. quando tinha tempo não tinha dinheiro.
    vou repetir, não estou defendendo o curso superior, estou discordando de abandonar por nada… concordando ou não, a sociedade te trata diferente com o diploma… e não fui eu que escolhi assim!
    seu texto está bem genérico pra quem quer falar algo pessoal.
    Não achei aonde me enrolei…

  24. victor disse:

    Po.. vocês defendem aprender só o que você vai usar na sua vida profissional, e eu que tenho que sair da caixa ?
    Vocês estão defendendo 1 ato impulsivo trocado 1 curso superior por nada, se ele trocasse de curso pra outro, teria algum motivo real.
    A Mente se desenvolve quando você exercita ela, não quando você descansa pra decidir alguma coisa.

  25. André Rubens disse:

    Victor… Você usa viseira cara… Pense fora da caixa.

  26. Victor, simplesmente por ser um blog já é uma opinião pessoal. Não citei nem fiz estudos sobre o assunto e comecei falando que as conclusões escritas são baseadas em uma conversa entre eu e o André Rubens.

    Eu nunca disse que abandonei por causa de NADA. Por favor re-leia meu texto.

    E parafraseando você, se não tem capacidade para ver onde se enrolou, me desculpe ;)

  27. victor disse:

    Vocês estão apedrejando tanto o curso superior, pois provavelmente nenhum de vocês tem. E por não ter, acha dispensável pra tentar concorrer de igual pra igual com quem tem no mercado de trabalho.

  28. victor disse:

    Cara, curso superior é extremamente relativo a área. psicologia, Engenharia, Medicina, entre outras. Você não trabalha sem diploma! Em contra partida, qualquer área da informática, Contabilidade, administração é totalmente dispensável um diploma! falta de vivencia profissional? você nem me conhece pra falar alguma coisa… diploma eu não tenho, minha área (desenvolvedor de sistemas, não programador) é dispensável, por isso vou fazer uma faculdade fora da minha área… Não tenho formação superior por falta de tempo e dinheiro, nem todo tem oportunidades assim.
    Cara, o que você fez foi basicamente comprar 1 livro, ler metade, apesar do conteúdo relevante, por não ser da sua área você jogou ele fora…. me diz se isso está certo ?
    E em nenhum momento eu defendi a importância do curso superior, estamos discutindo a atitude de largar um curso superior, por não ser a área que você quer trabalhar.
    E ó pra constar… 19 anos… e trabalho a 5 anos de programador em 4 empresas de diferentes. sem contar freela…

  29. Anny Rose disse:

    Porque será que o Victor – que acha uma porra de curso numa faculdade a coisa mais importante na vida – não respondeu a pergunta “A proposito, é formado em que?”?

  30. victor disse:

    Pedro, se você não tem capacidade pra entender, desculpe…

    André, se você não quer discutir, não quer dizer que eu não entendi.

  31. Peria Victor, você é programador a 5 anos, trabalha em 4 empresas diferentes e não tem como pagar uma faculdade? Acho que você está trabalhando da forma errada, não?

    Quanto a ter ou não um curso superior, como eu disse, não tenho, abandonei antes de formar e isso ajudou muitissimo no meu desenvolvimento. Já você aparentemente fala tão bem, não por ter feito, mas porque tem muita vontade de fazer.

    Experimente, não disse em momento algum que é inutil para todos, disse que é inutil PARA MIM, foi somente um exemplo para falar sobre persistir no erro.

    Ahhhh a propósito, você já percebeu que falou coisas erradas e está se enrolando bastante. Porque você está insistindo no erro? É burrice sair de um buraco cavando!

  32. André Rubens disse:

    É cara… Você não entendeu a reportagem e não entendeu pq eu te passei o site desinformar.
    Então, não preciso convencê-lo de nada, na minha opinião quem perde muito com isso é você. Se você gosta de sua idéias… fique com elas.

    Um abraço.

  33. EAD disse:

    Errar faz parte da vida do ser humano!!Mas devemos estar cientes e num cometer mais!!Devemos ter prudência!!

  34. Victor, não é ausência de capacidade é falta de objetividade no que você fala. Como você com 18 anos e sem um curso superior e vivência profissional pode falar tanto sobre conhecimento e importância do curso superior para chegar até ele?

  35. Victor você falou MUITO e não disse absolutamente nada. Tente formular melhor o que for falar ;) A proposito, é formado em que?

    Baduel, muito obrigado, comentários assim sempre nos ajudam a seguir em frente.

    André, apoiado :)

  36. Baduel disse:

    Já um mês leio seu blog mas e a primeira vez que vou comentar.SO pra dizer,parabéns!!!Pelo artigo e pela analise critica da mediocredade da consciência coletiva..E de como se tornar um diferencial

  37. victor disse:

    Cara, pra ter conhecimento você precisa de informação. informação é o mais bruto que tem, é o principio. Nada te da conhecimento, tudo te da informação, cabe a você transformar em conhecimento. Como? Ai são outros 500… mais depende exclusivamente de você transformar a informação que a faculdade te dá em conhecimento. O próprio site desinformar que você me passou, é informação. Opinião de alguém, um conceito. Baseado em informações. que ele conseguiu de um outro alguém ou de experiências próprias. A GRANDE diferença está entre quem sabe aproveitar as informações e quem não sabe. E Uma faculdade não dá apenas informações. É Uma troca de experiências, de idéias, de princípios… Troca de experiências de vida. e Você, por não gostar da coisa, para. joga fora toda informação util. Não venha me falar que é inútil, quem nunca perguntou pra si mesmo ‘pra que eu vou usar matemática na minha vida’? E só fica bitolado quem não pensa, quem não transforma a informação em conhecimento.

  38. André Rubens disse:

    Victor,
    Entra no site http://www.desinformar.com.br e observe que conceito bacana. Conhecimento realmente nunca é demais, mas acho que você confunde conhecimento e informação ou acha que a faculdade vai te dar algum conhecimento.
    Quem fabrica conhecimento é o individuo e não o meio externo. Continuar estudando coisas que não te interessam vão poluir sua mente com muitas informações inúteis, você não conseguirá fabricar o conhecimento que deseja e acaba ficando bitolado e seguindo “a ordem certa das coisas” por não conseguir traçar um caminho.

  39. Já achei que resolvia meu erro mudando de faculdade e curso, o que tinha me consumido meio semestre, passou a consumir quase um ano (imagine 3).

    Estive pensando em cursar marketing por pressão familiar, mas decidi ser auto-didata para atingir minhas metas.

    Acho estúpido empreasas como Globo.com e Uol exigirem que estagiário esteja cursando algum ensino superior, já perdi vaga nas duas somente por isso.

    Abraço cara.

  40. Magnus disse:

    não faz muito tempo que eu li na superinteressante uma entrevista com a professora Alison Wolf onde “ela” garante que diploma não garante futuro e muito menos dinheiro e usando quase que as mesmas palavras que você usou. Eu concordo veemente com o proposto, se você não gosta daquilo que está fazendo ou aquilo não lhe garante nada, largue antes que foda com sua vida e parta para aquilo que vai te fazer sentir bem e te dar bons frutos, seja eles a curto, medio ou longo prazo.

  41. victor disse:

    cara, será que isso é realmente persistir em um erro? conhecimento nunca é demais, mesmo em uma área que você não atua. isso é a base de tudo, conhecimento. e conhecimento nunca é inútil, por mais que você seja um programador e faça faculdade de história, isso vai te dar uma outra visão da vida, outra visão das coisas, dos problemas e das soluções. abandonar uma faculdade faltando 1 ano e meio pra terminar é desistência! por mais longe do seu objetivo que seja a faculdade, ela nunca vai ser vazia, sempre vai te trazer no mínimo contatos, experiências e umas cervejas, porque ninguém é de ferro, né? não coloque a culpa da sua falta de vontade, falta de persistência ou interesse no curso falar que seria um erro Continuar. o erro foi sair, agora eu te pergunto, nesse 1 ano e meio após sua saída da faculdade, você fez alguma outra?

  42. Pis é Victor, mas como eu disse o tempo inteiro não é abandonar e pronto é parar de insistir em um erro e procurar o acerto. Eu sai da faculdade para trabalhar e me dedicar a projetos que realmente fazem sentido para mim. Uma impressão errada que eu acho que você tem é a de que sair da faculdade é parar de estudar. Eu estudo o tempo inteiro, coisas novas e antigas, relevantes ou não. Mas GASTAR meu tempo E dinheiro com um conhecimento não específico e que na verdade não me interessa é burrice sim e terminar a faculdade teria sido persistir no erro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *