Privacidade no Smartphone

Privacidade no Smartphone

Há alguns dias a McAfee publicou os resultados de uma pesquisa, feita com 500 brasileiros, sobre troca de arquivos íntimos via smartphones e tablets.
De acordo com a pesquisa, 62% dos brasileiros entrevistados confirmaram enviar este tipo de arquivo a seus companheiros e companheiras. A pesquisa também revela o descuido na segurança desses arquivos, já que 61% armazena esses conteúdos no dispositivo.

Os principais resultados da pesquisa você pode conferir aqui.

O que nos leva à pergunta:

 

Você protege os seus arquivos?

 

Armazenar este tipo de conteúdo é altamente não recomendável, assim acontecem vazamentos, e não é novidade que a maior parte das redes e aplicativos de troca de mensagens não são confiáveis. Desde o vazamento de informações sobre a NSA, pelo Edward Snowden, temos visto resultados de análise de segurança de  vários aplicativos. Tendo alguns dos mais populares sido reprovados nos testes.

Já foi publicado que, além de o Facebook não proteger imagens adequadamente (já que o right-click numa imagem pode expô-la ao mundo, independente das suas configurações de privacidade), ainda tem arquivado até os posts que você nunca publicou (ver notícia aqui). Mais que o suficiente para deixar qualquer um com a pulga atrás da orelha.

O Snapchat, que se dizia seguro, criptografado, e prometia apagar as imagens, também foi desbancado em 2013 (veja notícia aqui) e, este ano, foi processado por propaganda enganosa (veja notícia aqui). Acusação com qual a empresa concordou ser verdade e diz que tomaria providência. Se já tomaram ou não, não sei. Sei que depois dessa a minha confiança foi por água abaixo.

O Whatsapp teve inúmeras brechas descobertas do seu lançamento até agora. Diz a companhia que implementou um sistema de criptografia, contudo ele já foi quebrado também (veja aqui).

Sobre o Skype… Bom, eu não deveria nem precisar comentar. Suas fotos vão para o computador/fone de outra pessoa como qualquer outro tipo de arquivo. Não se pode controlar visualização nem publicação. Sem contar que, de acordo com as informações fornecidas por Snowden, o Skype tem sido monitorado desde 2011.

Para piorar, após as relevações de monitoramento pelo governo americano, empresas têm buscado explorar brechas para desenvolver malwares e espionar dados em smartphones (veja aqui).

Enfim, é bom sempre lembrar que uma vez na internet, para sempre nela (a Xuxa que o diga). Há monitoramento para todo lado e dados são inevitavelmente suscetíveis de vazamento.

Mesmo um App seguro não impede que a pessoa do outro lado vaze os arquivos deliberadamente, mas é possível minimizar os riscos deles irem parar no 4Chan, como os das atrizes na semana passada.

A única forma de se garantir 100% contra vazamentos é sequer criar o arquivo. A mera criação do arquivo já torna possível que ele seja restaurado após exclusão (não sempre, mas quem quer correr o risco?). A menos, claro, que você coloque seu smartphone ou HD num microondas por uns 2 ou 3 minutos, mas aí você perde o microondas também. Ps: Não façam isso. Pode explodir. Mesmo.

 

Então quais são as opções para manter seus arquivos privados realmente privados?

 

Nossa Sugestão: Telegram Messenger

Telegram é um app gratuito, disponível para Desktops, Tablets e Smartphones. Permite compartilhar fotos, documentos e trocar mensagens em dois modos: Chat e Chat Privado (note o cadiadozinho).

No Chat Privado é gerada uma chave de criptografia partilhada entre os participantes do Chat unicamente, visível para os dois. Uma vez apagada a conversa, por um dos lados, perde-se a chave e o antigo Chat já era.

Telegram Messenger

Telegram Messenger

Chave do Chat Privado gerada pelo Telegram Messenger.

Chave do Chat Privado gerada pelo Telegram Messenger.

Os arquivos, mensagens e documentos compartilhados nesse modo são criptografados pela chave gerada e compartilhada entre os participantes. Mesmo que a imagem, ou mensagem, seja interceptada em algum momento do processo de envio, o conteúdo será ilegível.

A chave é única por chat, partilhada entre os dois usuários. O que permite que seja criptografada, pelo dispositivo que faz o envio, e descriptografada e lida por aquele que recebe. Logo, os arquivos são ilegíveis para qualquer outro dispositivo sem chave, ou com uma chave diferente daquela gerada quando foi aberto o Chat Privado.

Assim como o Snapchat, no Chat Privado do Telegram, os usuários também têm a opção de escolher o tempo de auto-destruição de mensagens e arquivos, assim como a destruição do próprio chat após um período de tempo.

Mágico, não? Seria perfeito não fosse o problema de “um segredo deixa de ser segredo quando é compartilhado”. Você pode destruir suas fotos e vídeos, mas não pode prevenir screenshots pela outra parte. Mas, isso é uma questão de confiança entre o casal. Se vazar, você vai saber quem foi e não vai ter desculpa de hacker ou vazamento do iCloud.

Curtiu? Você pode fazer o download, conferir as disponibilidades de suporte e detalhes do projeto aqui: https://telegram.org/

Também está disponível na Google Play e App Store.

 

Outros aplicativos seguros:

 

Alguns sites têm sugerido outros Apps. Contudo, o Telegram é o que dá suporte a um maior número de plataformas. Os demais são relativamente restritos. Então, a menos que o casal use o mesmo sistema operacional, melhor ficar com o Telegram, que também é o mais bonitinho.

De qualquer forma, segue aqui a lista de sugestões caso você queira testá-las:

Pidgin – https://www.pidgin.im/

TorChat – https://github.com/prof7bit/TorChat/wiki

ChatSecure – https://guardianproject.info/apps/chatsecure/

Xabber – http://www.xabber.org/

Alternativas ao Skype:

Jitsi – https://jitsi.org/

Mumble, Plumble e Mumblefy – http://wiki.mumble.info/wiki/Main_Page

Linphone – https://www.linphone.org/

 

Obs: Com exceção do TorChat e Telegram Messenger, os outros Apps sugeridos não foram testados por nós ainda. O TorChat é baseado no Tor Browser, como o nome indica e requer que você leia as instruções de instalação do link.

Se você testar um desses outros, pode contar aqui pra gente o que achou smile



Sophia Coelho - 18/09/14


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *