Trabalhando fora de casa – 1ª Experiência

Trabalhando fora de casa – 1ª ExperiênciaHoje eu decidi escrever fora de casa para ver como é. Depois de procurar muito, só encontrei um café em Belo Horizonte que oferece conexão sem fio para seus clientes, o Café Kahlua. Já me falaram muito bem de lá, mas sua localização não é das melhores para mim. Como não tinha muitas opções, decidi ir à luta e fui ao Café Status, na Savassi.

Primeira tentativa
Lugarzinho interessante, apesar da ausência de garçons para oferecer qualquer tipo de coisa. A livraria deles é fantástica e tem muitos livros realmente bons, apesar de não ter olhado nenhum no tempo que fiquei por lá.
O que mais me intrigou foi uma placa da Net Vírtua na porta do local. Dizia que no segundo andar havia acesso à internet, encontrei algumas redes, mas todas criptografadas. Simplesmente não haviam placas para este misterioso segundo andar. Fiquei escrevendo por 30 minutos, até que a vontade de tomar um café ficou grande demais e decidi procurar outro lugar.

Segunda tentativa
Saí perambulando pela Savassi e fui até o shopping 5ª Avenida. Olhei em todos os andares e descobri que a cafeteria que eu tanto gostava fechou. A única alternativa era uma tabacaria, lugar aberto demais e pequeno demais para assentar e pensar.

A terra prometida
Decidi ir até o Café da Travessa, outra livraria/café da Savassi. Felizmente, os garçons de lá não estavam de folga e me atenderam rapidamente. A primeira coisa que fiz ao abrir o notebook foi procurar uma rede, encontrei. Só serviu para me causar falsas esperanças, outra rede criptografada. Decidi esquecer a internet de vez e me dedicar um pouco à escrita enquanto tomava um ótimo café com creme, já que cafezinho normal eu tomo em casa.

O que vale é a experiência
Não acho que os cafés brasileiros estejam prontos para se ser um local de trabalho. A ausência de conexão com a internet é uma grande bola fora. Claro que ficar off-line é ótimo para a produtividade, você elimina distrações bobas, como o MSN e afins. A explicação é simples, em diversos momentos é necessário conectar, seja para checar um e-mail ou para conferir as informações que está usando.

Levando tudo isso em conta, decidi que para trabalhar em um local desses preciso de algumas coisas antes:

1- Criar uma pauta
Chegar ao café sem idéia alguma na cabeça não vai me fazer sair de lá com 3 textos brilhantes. Preciso definir antes alguns temas e juntar material sobre os mesmos para não depender tanto da internet.

2- Usar fones de ouvido mais potentes
A música na maioria dos cafés pode ser bem agradável, dificilmente sai do mix blues/jazz. O problema é o movimento de pessoas e as conversas paralelas, gosto de trabalhar em “silêncio”. Sons em excesso me distraem e isso pode ser ruim para a minha produtividade.

3- Definir um limite para os gastos
Cafés e sucos podem sair bastante caros se tomados sem atenção. A disponibilidade de ter um garçom é um perigo! Na próxima vez vou definir um teto máximo para meus gastos no café e evitar um susto na hora da conta.

4- Procurar um local discreto
Vitrines grandes ou transparentes são desagradáveis, você é observado o tempo inteiro e observa também. Isso pode distrair muito e causar desconforto. Talvez um lugar com menos luz fosse uma boa, para não precisar usar o brilho do monitor no máximo e economizar mais minha bateria.

5- Chegar mais cedo
A maioria dos cafés não fica muita cheia na parte da manhã, o que é ótimo para quem quer alguma tranqüilidade.

Essa foi apenas a primeira de várias experiências. Vou continuar procurando um bom local para ter produtividade máxima sem ser interrompido o tempo inteiro. Acho que seguindo as 5 regrinhas acima posso conseguir chegar aonde quero.

Para quem ficou curioso sobre o que é Savassi, dê uma olhadinha em seu artigo na Wikipédia.

Se você souber um bom local para trabalhar fora de casa, ou tiver uma dica para aumentar essa produtividade off-line, deixe seu comentário.



Pedro Villalobos - 19/06/07


12 Comentários

  1. Caraca Priscila, perdida depois de um ano do último comentário …

  2. Priscila disse:

    do que vcs estão falando que assunto é esse de café?

  3. Igor, eu não gosto muito do Café com Letras e achei que só abrisse mais tarde, por isso nem fui lá =p

  4. Igor Peixoto disse:

    Uai?! E o Café com Letras na Savassi? A conexão deles é o bicho e vira e mexe eu tô por lá pra saborear um chá gelado enquando acesso a net no pocket pc.

  5. LG, exposto agente fica querendo ou não. Os locais que eu fui são até bem seguros, mas não daria uma bobeira dessas no centro da cidade.

    Raulzito, quer comprar? ehehe Vendo baratinho =)

  6. Raulzito disse:

    É…. queria ter um notebook pra poder trabalhar fora de casa…. Fico muito dependendente do pc de casa, e aqui tenho mais distrações do que na rua….

  7. LG disse:

    Só uma observação sobre a quarta regra – Procurar um local discreto – Além de te distrair com frequência essas vitrines transparentes que você mencionou te deixam muito “exposto”. Trabalhando no seu notebook você não fica muito ligado nas pessoas em volta te observando… Pode ser perigoso…

    …aqui no Rio eu não faria isso…

  8. Vitor disse:

    É até fui olhar no site deles, iria te recomenda a Livraria Cultura… do Conjunto Nacional aqui em São Paulo. Mas realmente não é fácil encontrar um lugar para se trabalhar, e os cafés do item 3 não tem como evitar.

  9. eu sei e tou babando no starbucks novo… Quero isso, com urgência!

  10. Felipe Tofani disse:

    E aqui eu te mostro uns 12 cafés com wi fi livre.

  11. Gabriel, fui trabalhar fora de casa porque em casa eu fico acomodado demais. Sair de casa um pouco me ajuda a focar nas metas sem outras coisas pra distrair.

  12. gabrielgalvao disse:

    Pedro,
    O que que te motivou a trabalhar fora de casa, sendo que trabalhar em casa muitas vezes é visto como “vantagem” ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *