Não açassine o Portuguêis

Não açassine o PortuguêisHoje foi a gota dá’gua para mim. As pessoas estão realmente ignorando as regras do português. Não que eu seja um desses chatos que querem a lí­ngua culta apresentada o tempo inteiro, mas espero que pelo menos nos contatos profissionais ela seja respeitada. Você deve estar se perguntando o porquê de tanta ira, o motivo é simples: o responsável pelo e-mail de uma distribuidora de livros me respondeu e eu fiquei assustado. Segue a mensagem para assombro de â”quase”€? todos:

Por gentileza, voçê mande o seu telefone para nos entrar em contato com voçê, ou ligue para (XX)XXXX-XXXX e fale com o Sr. XXXXXXX XXXXX XX XXXXXXX.
A Empresa

Alguns podem argumentar que a mensagem foi transmitida, o que é seu objetivo principal. O grande problema é que não era uma mensagem pessoal e sim profissional. Isso não se faz.

Preste bastante atenção quando for responder a um e-mail de caráter profissional, ou escrever algo que transmita de alguma seriedade. Seguindo algumas dicas, podemos evitar grande parte dos erros:

1- Use um corretor ortográfico, o Microsoft Office e OpenOffice fazem isso

2- Na dúvida use um dicionário ou consulte o Google
Basta digitar a palavra no Google e se a mesma estiver errada, ele irá corrigir. Além disso, você pode compará-la com os sites encontrados

3- Releia o que escreveu
Eu sempre faço isso e ainda assim passam alguns erros. Revisão é fundamental para qualquer texto

4- Envie para alguém de confiança antes
Se não estiver muito seguro de sua revisão, peça para um amigo(a) revisar o que você escreveu

Isso aqui foi quase um desabafo, mas não acho que esse tipo de coisa incomode só a mim. Se você também está cansado com o “€œvamos estar ligando”€? das centrais de telemarketing e textos horríveis até mesmo em jornais, deixe sua opinião nos comentários.



Pedro Villalobos - 11/06/07


16 Comentários

  1. Eduardo disse:

    Esse cenário é muito triste. Já estamos mais conformados com a dificuldade no domínio da língua por parte da camada mais marginalizada da população. A questão é que essa “doença” está se alastrando e chegou até ao Congresso Nacional… é de doer os ouvidos as pérolas que saem dos discursos de políticos… Tenho adotado uma postura de guerrilha quanto a isso. Não hesito em corrigir as pessoas. Danem-se se me acharem um chato. No mínimo vão pensar ao menos um pouquinho sobre ~como estão falando ou escrevendo.

    Um abraço,

    Eduardo Arcon

  2. Maria Aparecida de Jesus disse:

    Pessoal sofro todos os dias na pele
    o tormento de corrigir erros de Português. Sou professora.

    Concordo com a Andreza.quando cita a frase de uma musica conhecida,Tristeza não tem fim…

  3. andreza disse:

    Eu entendo essa situação, errar é humano, mas desse jeito…
    Agora imagina receber um texto institucional de uma empresa com a palavra “seguimento” ou algo do tipo “a empresa X faiz blá blá blá”. E pra piorar ainda mais, quando vc corrige os tais erros, recebe a resposta de que a empresa em questão não quer nenhuma alteração no texto…
    Como dizia aquela música “tristeza não tem fim, felicidade sim…”

  4. Milton Yogi disse:

    Ir à escola não significa que estejam aprendendo nem recebendo educação.
    Escrever errado não é preguiça.
    Peça a eles escreverem um texto de uma folha e verifique.
    Tenho certeza de que se surpreenderá.
    E a educação básica está, sim, sofrível.
    Talvez sua percepção seja a da sua época (talvez mesma que a minha). Mas por ver de perto, sei que o nível caiu…

  5. Milton, concordo com você que a educação básica no país não é lá essas coisas, mas vejo primos meus de 14, 15 anos, com uma ótima educação e que escrevem extremamente errado da mesma forma. Acho que no geral é uma falta de esforço da pessoa mesmo. É muito comodo escrever errado :/

  6. Milton Yogi disse:

    Concordo com a indignação mas discordo das sugestões.
    Esquecemo-nos da importância dos FUNDAMENTOS em nossa formação.
    Soluções paliativas e incompletas é que nos levaram a este estado atual.
    Educação básica nunca vai ser resolvida com um revisor. Isso é ilusão.
    Os erros de forma demostram uma falha mais profunda, que é de conteúdo e de formação.
    É isso que esses erros gramaticais significam.
    Esse sujeito que escreveu o texto já está no mercado de trabalho. Quando muito, se mostrar-se (muito) esforçado, poderá remediar parcialmente a falta de fundamentos. Mas o que lhe faltou em todos os anos de formação não serão preenchidos pelo Revisor.
    Queremos uma tecla que resolva de imediato esse problema…
    A reflexão que fica é: como devemos fazer para evitar que esse moto contínuo de ignorância seja perpetuado?
    A única resposta que vejo é: lutemos por melhor educação básica. Não existe colheita sem que semeemos com trabalho árduo e de longo prazo.
    Se houver uma outra solução mais simples, eu quero. Mas não conheço.

    Paz e sucesso!

  7. Que isso, Kaká, errar é humano ;) Acho que o problema grande está em erros esdrúxulos, que indicam total ignorância mesmo.

  8. Kaká disse:

    E não é “há algum tempo atrás”, que burra que eu sou…
    É “à algum tempo atrás”, com crase, eu estou falando de tempo!
    Desculpa!
    Aliás, inconveniente algo do gênero em um post sobre língua portuguesa!

  9. Kaká disse:

    Acho que hoje isso anda mais terrível do que há algum tempo atrás. A internet e suas abreviações esdrúxulas formaram uma geração de incompetência linguística!
    Dá raiva mesmo, dá prá ficar fulo da vida, possesso com um descaso desse.
    Ainda mais de caráter profissional… Isso não se faz!

    E eu que escrevo direitinho tô sem emprego! Isso que mais dói sabia?

    Beijo.

  10. Anny Rose disse:

    Cara, acredita que só agora eu percebi? Coloca o http://revisor.com.ar/ na parte dos revisores ortográficos, acho ele muito prático e eficiente.

  11. Anny, eu dei essa dica do Google também, mas é legla frisar (com S ou com Z? =)). Vou dar uma olhada nesse site… valeu a dica ;)

  12. Anny Rose disse:

    Ótimo post, Pedro. Olha, acho que você deveria acrescentar mais um revisor ortográfico que é bastante eficaz, é o http://revisor.com.ar/ (peguei o endereço no blog do Alessandro Martins). Você também poderia acrescentar uma dica: É que sempre tem algumas palavras que não são corrigidas pelos revisores ortográficos, e ficamos com dúvida sobre as mesmas, portanto quando tivermos alguma dúvida, também é interessante que usemos o Google buscando por essa palavra, o Google sempre corrige quando está errada.

    Até mais, abraço.

  13. Raulzito disse:

    Realmente, dói ver coisas como essas no cotidiano.
    Mas também, ninguem mais liga pra fala ou escrita correta de nossa lingua. Tanto é que algumas empresas já perceberam a falta de conhecimento de seus empregados e fornecem um treinamento de escrita, pra não passarem por vexames desse tipo

  14. Edik Romanov disse:

    Pior foi um conhecido meu que recebeu de uma instituição organizadora de concursos públicos a seguinte mensagem: já efetuamos a escluzão da sua inscrição em duplicidade. O valor já foi reçarcido em sua conta corrente. Acreditem se quiser !!! Mas são essas pessoas que julgam o conhecimento alheio!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *